Os textos deste blog apenas podem ser reproduzidos com menção expressa da fonte/autoria "coelhonu.blogs.sapo.pt" |
omaildocoelho@gmail.com |

coelho @ 18:09

Sab, 23/02/13

Clementina entrou em casa, seca, amarela e fomeada. “Claro que isto assim não pode continuar”, disse-lhe o cavalo sentado à mesa a trinchar o bife. “Obviamente!” concordou Clementina  que até aquela hora não estranhara ter casado com um cavalo. Nesse instante nem pensou em pedir o divórcio. Tirou-lhe o garfo da mão e espetou-lho.

 



|