Os textos deste blog apenas podem ser reproduzidos com menção expressa da fonte/autoria "coelhonu.blogs.sapo.pt" |
omaildocoelho@gmail.com |
coelho @ 20:01

Sex, 19/04/13

Aceitou o questionário que o rapaz lhe estendia, solicito. Preencheu-o conscienciosamente e deixou-o na mesa da televisão para o devolver quando o rapaz tornasse por ele como explicado. Passou um par de dias, um par de semanas e o rapaz não tornou. Ainda assim manteve-se confortado nas dificuldades de tal operação que o telejornal noticiava como razão de alguns atrasos em lugares mais remotos. Um par de meses depois desconfortou-se e dirigiu-se á Junta de Freguesia mas informaram-no que já nada havia a fazer, a contagem tinha acabado. Voltou para casa angustiado. Tinham-se esquecido dele, já não contav



coelho @ 20:30

Qua, 17/04/13

A António Hilário, depois da satisfação de ficar com o Opel, restou-lhe o problema de escolher, entre os livros que herdara, quais ler. O tio, grande leitor, contemplara-o com nada menos que 15 livros. Exactamente o quíntuplo do que, com boa vontade, conseguiria ler no resto da sua vida. Pôs a hipótese de incrementar a sua média de leitura anual. Ainda assim precisaria de muitos anos. Não era solução. Pensou vendê-los, mas entre os amigos era ele que detinha o recorde de leituras. Decidiu por fim seguindo o conselho avisado de um padre, fazer uma doação a um lar de terceira idade. Resolvida a questão, posso asseverar que viveu feliz as décadas seguintes, até que envelhecido e doente, a filha, com uma comparticipação da Segurança Social, o internou na Casa de Repouso Sol Poente. Aí, numa sala de convívio despida de tudo, deu de novo com o seu problema exposto numa estante. 



coelho @ 22:18

Qua, 03/04/13

Sabe bem que ter subsistido mais uma noite não é motivo de grandes expectativas e forçosamente a sua hora chegará, quem sabe quando a empregada brasileira aparecer para pôr a mesa do pequeno-almoço.



coelho @ 22:17

Qua, 03/04/13

Já que assim matavam apaixonadamente as horas de vento inavegável, Ulisses, o dos mil expedientes, viu com bons olhos que a equipagem se envolvesse naquele novo jogo que acabara de inventar. No entanto não demorou muito a inquietar-se, primeiro com a vontade que punham no jogo e depois porque começaram a jogar todos os dias. Avisou-os então com boas e sábias palavras dizendo-lhes que tudo o que é demais cega-nos e em consequência o que deve ser visto, deixa de o ser. Para que não se esquecessem recordou-lhes a profecia de Tirésias e de Circe mas os marinheiros não o ouviam já, presos que estavam do belo jogo, pois enquanto a hora não chegava preferiam sentar-se em roda para o antever e depois de acabado continuavam a roda para comentar quem jogara melhor e pior. Foi então que Ulisses, o dos mil expedientes, se viu, preclaro, a chegar sozinho a Ítaca.



coelho @ 22:07

Ter, 26/03/13

Seguia por um caminho municipal quando o GPS deixou de funcionar. Quando se apercebeu encolheu os ombros e seguiu em frente, confiante. Certamente alguém o guiaria até ao seu destino, o que aconteceu.

Depois desse dia deixou de pagar impostos.



coelho @ 20:35

Dom, 24/03/13

fazia criação de votos. Alimentava-os durante o ano inteiro, mas caprichava nas festas de verão, no natal e nos torneios desportivos. Não perdia tempo para cuidar de um voto extraviado ou desavindo, e oferecia-lhe um emprego no programa ocupacional, um subsídio para a associação, fosse o que fosse.

Em cada eleição, colhia-os.

 



coelho @ 20:42

Sex, 22/03/13

Deitada na cama, morre lentamente, de amor enquanto diz para consigo; o coração verte, verte tanto que a vida se me esvai sem remédio. Ainda assim, bem digo o homem que mo arranhou.




coelho @ 20:46

Ter, 19/03/13

Na escola estava sempre com a cabeça na lua.

- Neil, presta atenção!... Dizia-lhe a professora.

Quando cresceu foi lá por os pés.



coelho @ 20:38

Seg, 18/03/13

Ao vigésimo terceiro lance VesselinTopalov conseguiu recuperar da desvantagem e mordeu um bispo de GaryKasparov.

Gary pensou em contratacar Vesselin comendo‑lhe a rainha mas como era um lance muito previsível optou por levantar a saia do bispo e matá-lo de ridículo.



coelho @ 20:23

Dom, 17/03/13

Gimondas esticou o pescoço, eriçou a penugem e largou o mais famoso cócórócócó de todo o vale de Pomares.

Feito que estava o sólidó, sumiu a cabeça na asa e dispôs-se a dormir toda a manhã porque já estava ganho o…



coelho @ 20:00

Dom, 17/03/13

Era uma… umas batatas, muito amigas, muito unidas. Eram batata com batata. Iam juntas para todo o lado. O que mais as unia era terem medo do descascador.

 

Um dia, estavam agarradinhas, a combinar a vida, sentadas como se está num banco de jardim à sombra de um jacarandá quando chegou uma nuvem grande, escura, medonha e por detrás da nuvem, uma mão.

E foi um ai! …

Foi menos de um ai enquanto o descascador lhes tirou a roupa e a faca as cortou para dentro da panela. Depois de cozidas passaram para o passevite e foi outro ai até que se desfizeram em papa.

 

Quando passaram para o outro tacho meio de leite, já não sentiram nada senão um fiozinho de azeite a espalhar



coelho @ 20:03

Qua, 13/03/13

Natacha Windsor, frequentemente capa da Finestpeople, sofria recorrentemente de gota. Normalmente recorria a um comprimido milagroso e ocasionalmente ao pai, filho e espírito santo. Raramente recorria à mãe.

 



coelho @ 20:15

Ter, 12/03/13

Cansado, adormeceu por momentos em frente ao DVD. Foi nessa altura que Papillon fugiu. Quando deu por isso  percorreu desesperado o controlo remoto para recuar o filme.

— É da idade, concluiu, quando tinha olhos para ler isto não acontecia!

 



coelho @ 21:46

Seg, 11/03/13

ainda lhe chegou em vida. Depois de ter tocado a outros, alguns mais merecedores, lá lhe chegou a ele a vez do chequezinho e da honra. Mesmo a tempo, antes de morrer, para perceber que um e outra não tinham cobertura.



coelho @ 20:14

Dom, 10/03/13

A edição ne varietur do livro excitou o autor umas boas semanas até que o amoleceu um sublinhado encontrado num livro de alfarrabista; “a variabilidade é a matéria-prima da evolução”.

 



coelho @ 20:30

Qua, 06/03/13

Medra! Disse o homem ao seu dinheirinho quando o pôs no banco. Quando o foi buscar, manda a verdade, é que disse; merda!



coelho @ 21:33

Sex, 01/03/13

José Silva era um homem pequeno. Visto do outro lado era até particularmente pequeno entre a classe dos maquinistas de comboio. Ficava por isso muito feliz sempre que o primeiro-ministro o conseguia ver ao fundo do túnel.



coelho @ 12:00

Seg, 25/02/13

A rã jogou Lxd6 e C saiu do tabuleiro. Com Carlos fora, Luis era agora diretor do centro.

- Percebeste?

- Sim.  E agora?

- Agora, se tudo correr bem, a sequência é  Vc4,  Jb3 e tu… para b2.

 



coelho @ 20:00

Dom, 24/02/13

o relógio de cuco ensandeceu. Está velho, cuca as 3 horas aos bochechos, uma de cada vez, ao quarto, ás dezoito e á meia-hora sem hora. De início ainda acharam graça, depois começou a ser um fardo e puseram-no num asilo.

 

 

 



coelho @ 18:09

Sab, 23/02/13

Clementina entrou em casa, seca, amarela e fomeada. “Claro que isto assim não pode continuar”, disse-lhe o cavalo sentado à mesa a trinchar o bife. “Obviamente!” concordou Clementina  que até aquela hora não estranhara ter casado com um cavalo. Nesse instante nem pensou em pedir o divórcio. Tirou-lhe o garfo da mão e espetou-lho.

 



|